O herói que não fazia nada

Um herói normalmente é reconhecido por suas façanhas, sua força, agilidade, etc. Mas João era um herói diferente, ele era um herói que não fazia nada.

Sua fenomenal preguiça e desejo de fazer nada influenciaram profundamente o mundo inteiro. Cansadas de tanto trabalhar e insatisfeitas por não poder tirar aquele belo cochilo após o almoço, as pessoas viam em João um ideal de vida.

Foi por causa dele que Maria, mãe de três filhos, que acordava às 4h para arrumar o café das crianças, ia para o trabalho às 6h, chegava em casa às 19h, fazia os trabalhos da igreja até às 22h e assistia TV até à meia-noite, deixou várias de suas obrigações para trás e hoje vive uma vida gostosa. Assim aconteceu não só com Maria, mas com toda a humanidade.

O segredo de tamanha influência de João era sua presença. É claro que ele não poderia, no curto espaço de uma vida, mostrar sua tranquilidade a todas as pessoas do mundo. Ele nem sequer queria isso, pois seu objetivo último era não fazer nada.

Por viver tão dedicado àquilo que ele amava fazer — nada — João emanava um ar de profunda paz e satisfação. Esse seu bom perfume chamava a atenção de todos de forma tão profunda, que as próprias pessoas que o contemplavam contavam às outras a incrível tranquilidade de João. Foi assim que sua mensagem atingiu o mundo todo.

Mesmo sem ter mensagem nenhuma a passar, João mostrou algo importantíssimo ao mundo e o converteu à vida dedicada à paz e à simplicidade.

Anúncios