14º Domingo após Pentecostes

Certa vez, os fariseus e escribas notaram que os discípulos de Jesus comiam com as mãos sujas. Por isso, eles foram a Jesus e lhe perguntaram o porquê de tal absurdo higiênico.

O filho do homem lhes respondeu: “Isaías profetizou corretamente sobre vocês, hipócritas. É como está escrito: ‘Essas pessoas me honram com a boca, mas seus corações estão longe de mim. Vocês me adoram em vão, ensinando preceitos humanos como doutrinas.’ Vocês negligenciam os mandamentos divinos e se prendem a tradições humanas.”

Nesta ocasião, Jesus confrontou a ética tradicional. Para aqueles fariseus e escribas, suas tradições eram mandamentos divinos. O mestre de Nazaré desconstrói os discursos sobre Deus, afirmando que o Sagrado não pode ser capturado. Assim, ele contraria o moralismo, com seu foco nas aparências. smoke

Jesus propõe um outro caminho. Ele nos convida a rompermos com o cumprimento exterior das normas a que estamos acostumados, a ir além do que dizem ser o bem e o mal e ser tomado pelo seu Espírito. “A letra mata, o Espírito vivifica.” Ele nos chama a deixar o fardo pesado das leis para trás e tomar o fardo leve de viver como peregrinos, em constante movimento.

As leis nos dão conforto, mas o divino não pode ser aprisionado. Para seguir Jesus é preciso se deixar levar pelo seu Vento, que sopra onde quer.

Anúncios