O jugo suave

Christus RexVinde a mim todos os que estais cansados sob o peso do vosso fardo e vos darei descanso. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para vossas almas, pois meu jugo é suave e meu fardo é leve. (Mateus 11,28-30)

A maioria das pessoas vê a vida cristã como algo excessivamente rígido. E as igrejas que mais crescem são mesmo aquelas que requerem um estilo de vida mais pesado.

Porém, o próprio Jesus afirmou que seu caminho não é o caminho da rigidez da lei, mas da leveza da graça. Algo muito bem dito em Colossenses:

Se morrestes com Cristo para os elementos do mundo, por que vos sujeitais, como se ainda estivésseis no mundo, a proibições como: ‘não pegues, não proves, não toques’?! Tudo isso está fadado ao desaparecimento por desgaste como preceitos e ensinamentos humanos. Têm na verdade aparência de sabedoria pela religiosidade afetada, pela humildade e mortificação do corpo, mas não têm valor algum senão para satisfação da carne.

O que há de errado?

A dissonância entre Jesus e seus seguidores é tamanha que é impossível destrinchá-la aqui, por isso, restringiremo-nos a um só fato: nós, cristãos, não acreditamos em Jesus.

Primeiramente isso é verdade porque para muita gente, ser cristão não implica em imitação de Jesus, mas afiliação a um grupo político, de manutenção da ordem social e de demarcação de terras, para dizer quem está dentro e quem está fora.

Mesmo entre gente sincera, que busca de fato Jesus, não conseguimos encontrá-lo — presumindo que eu e você sejamos parte dessa gente — porque estamos mais apegados às convicções que a religião sobre Jesus e nossa cultura nos impregnaram do que à verdade libertadora de Cristo. Entre Jesus e nossas convicções, escolhemos manter nossas ideias sobre o mundo.

Como consequência de não acreditarmos em Jesus, nós também não vivemos como ele. Dallas Willard, em seu livro “O Espírito das Disciplinas”, trabalhou muito bem a relação entre “jugo suave” e o estilo de vida de Jesus:

Ninguém diz: “Se você deseja ser um grande atleta, salte seis metros, corra um quilômetro em quatro minutos”, ou: “Se você deseja ser um grande músico, toque o concerto de Beethoven no violino.” Pelo contrário, aconselhamos os jovens artistas e atletas a desenvolver um tipo de vida que envolva profundas associações com pessoas qualificadas, uma agenda bem organizada, boa alimentação e exercícios para o corpo e para a mente.

Para viver sobre o jugo suave de Jesus, pois, precisamos viver como ele, em solitude, silêncio e oração.

Apesar de nosso senso comum, o nazareno era tomado de uma leveza e simplicidade raras em nosso tempo. Ele resistiu ao espírito da gravidade — para usar a frase de Nietzsche — e escolheu viver inspirado pelo vento que não se sabe para onde vai.

Anúncios